terça-feira, 2 de março de 2010

barra seca praia de nudismo espirito santo

NASCIMENTO DA PRAIA NATURISTA DE BARRA SECA
LINHARES-ESPIRITO SANTO
Fundação da NatES : 7 de setembro de 1993
Inauguração da Praia : 05 de fevereiro de 1994
Primeira Diretoria : Presidente: Gilson Ribeiro de Almeida
Vice-presidente: Márcio Ramalho Braga
Secretária: Maria Luzia A. de Almeida
Tesoureira: Ângela Biral Braga


Saímos de Vitória, ES, para irmos pela primeira vez a uma praia oficial de nudismo. Quanta emoção! O ano era 1990. O local: Praia do Pinho, Balneário Camboriú, Santa Catarina.

Uns dois anos antes, a extinta revista Manchete havia publicado uma matéria sobre uma praia de nudismo no sul do país que vinha sendo freqüentada por muitos brasileiros e estrangeiros, principalmente, argentinos.



Mas a matéria não ensinava o roteiro para ir até lá. Escrevemos uma carta ao jornalista Tarlis Batista e recebemos dele um telegrama informando os contatos com Celso Rossi, presidente da FBN – Federação Brasileira de Naturismo.

O Celso nos respondeu explicando que o movimento que se formava era de NATURISMO e não NUDISMO como estávamos sempre acostumados a ouvir falar: “campos de nudismo”. Mas qual a diferença? Seriam hippies? Vegetarianos? Poderíamos fumar? Beber? Quantas dúvidas!

Viajamos de avião e chegamos de táxi ao Paraíso da Tartaruga, clube naturista anexo à Praia do Pinho. Um Tarzan, nu, veio nos recepcionar: era o Celso, desacompanhado da esposa, Paula, que acabava de dar à luz ao primeiro filho.

Para quebrar o nervosismo brinquei perguntando: - mim Jane, you Tarzan? Rimos todos, ele nos deu as boas-vindas, nos mostrou as dependências do clube, falou das normas do local e nos acomodou num chalé de madeira localizado numa pequena reserva florestal. O chalé estava todo decorado com faixas, corações, flores, etc, porque um casal havia passado alí a lua de mel. Bom começo!

Gilson logo tirou a roupa, se acomodou numa cadeira de praia e foi pitar seu cigarrinho. Poderia fumar?

Eu continuei vestida. E estática! Só consegui balbuciar: - “não vai dar certo!”

Algum tempo se passou e fiquei “fingindo” que arrumava as coisas. Que coisas? Roupas??? Levamos duas pequenas malinhas.

Não saberia precisar o tempo, mas despertei dos meus pensamentos quando percebi um casal chegando com duas crianças, de aproximadamente uns 10 anos. Foi então que comecei a olhar em volta percebendo muitas barracas montadas, fechadas, imaginando que naquele horário os proprietários deviam estar na praia. Outros chalés se integravam à paisagem, misturados à mata, além de uma grande construção de madeira que estava sendo erguida pelo Celso e dois ajudantes para ser o que chamariam de albergue.

Eu continuava vestida!

De repente, assustei-me com uma voz fininha agarrada em mim perguntando-me se eu não iria tirar a roupa. Era a garotinha que chegara com os pais, que depois soube chamar-se Sara. E ela já estava nua!

Passado o impacto daquela carinhosa recepção infantil, pude perceber que eu continuava vestida numa área de Naturismo. Pensei: -se uma garotinha, com 9 aninhos, muito magrinha, está nua porque eu com 35 anos continuo vestida?

Tirei a roupa!

Gilson continuava lá, imóvel, curtindo cada inspirada de ar puro. Acho que ele, realmente, estava em transe!

Mas eu continuava perdida, meio sem saber o que fazer numa área de Naturismo. Um novo casal estava chegando para acampar, nos cumprimentamos ligeiramente, conversamos algumas coisas básicas, tipo conversas de quem ainda não se conhece.

Achei melhor aproveitar a tarde para dormir e relaxar.

No cair da noite fomos convidados para uma festinha surpresa, pois seria comemorado o aniversário de Paula, e os muitos amigos iam chegando trazendo produtos para um churrasco. Fomos apresentados a todos, nos integramos ao grupo e aquela noite foi muito agradável. Fazia um friozinho gostoso embora fosse verão, a maioria estava vestida e uns poucos estavam nus. Eu já começava a me sentir bem relaxada , talvez porque estivesse toda vestida no meio de alguns nus. Era a nossa primeira experiência entre os Naturistas.

Na manhã seguinte, faríamos a tão esperada estréia na Praia do Pinho. Logo que acordamos descemos para a praia. A “prova de fogo” estava para acontecer: teríamos que passar dentro da área dos homens desacompanhados para chegar até a área das famílias. E como era alta temporada de verão, a área estava bem lotada.

Passamos bem rápido para não ter que olhar, nem ser olhada. Mas Gilson continuava feliz, relaxado e curtindo tudo. Porque homens e mulheres são tão diferentes em emoções?

Mas logo algo me chamou a atenção: uma camisa de uma loja de nosso Estado, a Dadalto, bem na nossa frente, fazendo exposição na portaria da praia, dando-nos a certeza de que havia capixaba na área.

Passamos meio despercebidos e fomos nos sentar para aproveitar o lindo dia que iniciava, com sol e muito calor. Porém, mal nos assentamos, foram nos chamar para irmos até a portaria da praia. O que queriam conosco? Logo imaginamos que seria para preencher alguma ficha, etc, mas a Rose Espíndula, uma das fundadoras da praia que havíamos conhecido no dia anterior, nos chamava para apresentar o capixaba, Márcio Braga, que também fazia sua estréia naquela praia. Ele, por estar sozinho, não podia entrar na área das famílias e permaneceu durante muitos dias ajudando na portaria fazendo recepção aos que chegavam.

Ficamos uma semana naquele paraíso, conhecemos muitos naturistas, conversamos bastante e aprendemos que Naturismo não era simplesmente se despir das roupas. Esta era a parte mais fácil do Naturismo. Aprendemos que “Naturismo era um modo de vida em harmonia com a natureza caracterizado pela prática da nudez em grupo com a intenção de encorajar o auto-respeito, o respeito ao próximo e o cuidado com o meio ambiente.”

Fomos embora determinados a ter uma praia naturista em nosso Estado.

Três anos se passaram.

Neste período nos filiamos à RioNat e constantemente participávamos dos eventos organizados pelo grupo, comandados por Sérgio de Oliveira. Com eles, inauguramos a Praia Brava, em Cabo Frio, reiniciamos as atividades na praia Olho do Boi, em Búzios e freqüentamos a Fazenda Alegria, no Rio de Janeiro, onde as atividades eram realizadas.

Neste três anos fizemos muitas buscas pelo litoral sul capixaba tentando encontrar uma área onde pudéssemos implantar o nosso próprio projeto naturista.

Em abril de 1993, lembrei-me de Márcio Braga e falei para Gilson que iria tentar localizá-lo na empresa de energia elétrica onde ele trabalhava. Para nossa alegria, logo o achamos e ficamos sabendo que ele também procurou por uma área onde pudesse praticar o Naturismo, informando-nos que havia ido ao litoral de Linhares pesquisar uma área liberada para a prática de nudismo através de uma informação publicada no Guia Quatro Rodas. Esta notícia teria sido “plantada” pelo ex-prefeito de Linhares ES Luiz Durão, que após a implantação do balneário Pontal do Ipiranga, apostou nos nudistas para desenvolver o turismo na região, plagiando Trancoso-BA, que teve sua divulgação nacional através da praia liberada para o nudismo.

A área de nudismo o Márcio Braga não encontrou, mas conheceu o Secretário Municipal do Meio Ambiente, Fábio Gama. Conversando, descobriu que existia uma praia totalmente deserta onde se poderia implantar um projeto porque era bem isolada e o acesso se daria através de barco, o que dificultaria a chegada de curiosos, mantendo a privacidade e tranquilidade dos naturistas.

Mas o Márcio não se lembrava ao certo onde encontrá-lo em Linhares, e disse-nos que iria procurar por maiores informações. Alguns meses se passaram sem que voltássemos a nos falar.

Naquele mesmo ano, em agosto, lembramos daquela conversa com o Márcio e decidimos procurá-lo novamente. Rapidamente ele achou os contatos com o Fábio e nos repassou.

Imediatamente ligamos para ele que nos convidou para passarmos lá o feriado de 7 de setembro, que se aproximava. Convite aceito, fomos conhecer a nossa “possível” praia de Naturismo, saindo em caravana com nossos filhos, além do Márcio Braga, esposa e filhos.

Mas o que seria um agradável passeio tornou-se muito cansativo porque percorremos 180 km de Vitória até Linhares e mais 60 km de estrada de terra, chateando as crianças, com 9 e 13 anos. Quando chegamos ao local combinado, uma choupana de palha na beira-mar, perguntamos a um Senhor se aquela seria a propriedade do Sr. Fábio Gama, tendo ele nos respondido ser uns 20 km adiante. Resposta que provocou uma reclamação geral. Mas era uma brincadeira do próprio Fábio Gama.

Fomos carinhosamente recepcionados por ele e sua esposa Rosângela, e hospedamos-nos numa casinha de praia no sítio deles.

E naquele mesmo dia, um delicioso feriado de 7 de setembro de 1993, encontramos a nossa Praia Naturista de Barra Seca, onde ficamos a bandeira da NaTES -Congregação Naturista do Estado do Espírito Santo.

Imediatamente, entramos em contato com a FBN, obtendo todo o apoio e orientação através de Celso Rossi, que nos direcionou para que pudéssemos montar um projeto que ganhasse solidez.

Após várias reuniões agendadas por Fábio Gama com a comunidade local, comerciantes e moradores do balneário Pontal do Ipiranga, administradores municipais, autoridades e entidades ambientais, recebemos o aval e inauguramos a Praia Naturista de Barra Seca no dia 05 de fevereiro de 1994, contando com a presença de uma caravana de naturistas integrantes da RioNat, da imprensa em geral e de alguns naturistas capixabas que apareceram porque acompanhavam através das diversas matérias que avisavam sobre o dia da inauguração da primeira praia oficial de Naturismo da região sudeste.

Naquele dia a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros se fizeram presentes enviando seus soldados e salva-vidas.

Houve uma solenidade no final da tarde, com a presença de algumas autoridades, com discursos do chefe de gabinete do prefeito, do presidente da NatES e do Fábio Gama. O pessoal do Projeto Tamar marcou o evento com a soltura de quase 200 tartarugas marinhas nascidas naquela noite. Contam que por volta dos 30 anos, quando estiverem adultas, elas voltarão ao local onde ganharam o mar.

Além da ajuda incondicional do Fábio Gama e de sua esposa Rosângela, recebemos o apoio do prefeito do Município de Linhares ES, José Carlos Elias, que autorizou a implantação de uma pequena infra-estrutura na praia para o conforto dos naturistas. Também recebemos a colaboração do órgão Ibama, com doações de madeiras ecológicas, do pessoal do projeto Tamar que encontrou nos naturistas apoio para o projeto de proteção das tartarugas marinhas, da empresa Antártica com patrocínio e doações de mesas, cadeiras, barracas de praia e diversas placas. Também o Sr.Toninho e seu filho Silvio -cuja propriedade localiza-se em frente à praia, que montaram a Cabana Barra Seca para receber os naturistas e fazer a travessia do barco, além dos diversos comerciantes do Pontal do Ipiranga: Ozéas, Justino, Orlando, Nice (famosa pintora capixaba, já falecida) e seu marido José Augusto, também falecido.

A primeira diretoria da NatES – Congregação Naturista do Estado do Espírito Santo foi composta pelo presidente, Gilson Ribeiro de Almeida, vice-presidente, Márcio Ramalho Braga, secretária, Maria Luzia A. de Almeida e tesoureira, Ângela Biral Braga.

A paixão pelo Naturismo e o envolvimento foi tão forte que presidi a FBrN, Federação Brasileira de Naturismo, de 2001 a 2003.

Quinze anos já se passaram!

Maria Luzia Almeida de Almeida

Vitória – Es - Brasil


fonte: http://www.barraseca.com.br/

Rita Pavone

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Prestação de Serviço

DIVERSÃO JOGO DA FORCA,Basta escolher a letra e acertar palavra.
___________________________________________ ___________________________________________ JOGO DA VELHA JOGO DA VELHA SIMPLES, QUE TAL DAR UMA PARADINHA E TESTAR SEUS REFLEXOS.BASTA CLICAR NOS QUADRADOS E BOA SORTE.

___________________________________________ ___________________________________________
  • "TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DE:"
  •  

    Seguidores